ARTISTA CANADENSE EXIBE RESULTADO DE EXPEDIÇÃO EM DIFERENTES BAIRROS DE SALVADOR

Em workshop e exposição, Cécile Martin revela cruzamentos entre arte e arquitetura

“Ilhas de Salvador” é o resultado do trabalho que a canadense Cécile Martin, mestre em Arquitetura, fotógrafa, cinegrafista, performer, cenógrafa e curadora, vem desenvolvendo em Salvador desde o mês de junho. Residente do Programa de Residência Artística Vila Sul do Goethe-Institut Salvador-Bahia como bolsista do Conseil des arts et des lettres du Quebéc (CALQ), ela vem visitando diferentes bairros da capital baiana a fim de apreender as dinâmicas entre espaços, corpos e ambientes que geram diferentes paisagens e modos de organização comunitária. No dia 24 de julho (terça-feira), das 13h às 18h, haverá um workshop com a artista, que também abrirá, às 19h, uma exposição fotográfica batizada com o nome do projeto.

O nome “Ilhas de Salvador” vem de sua observação sobre o fato de que cada bairro da cidade funciona como um ecossistema autônomo que convive com outros. As suas andanças a levaram a lugares como Saramandaia, Vila Brandão, Subúrbio Ferroviário, Centro Histórico, Comércio, Santo Antônio e também um quilombo, localizado em Simões Filho. Em cada visita, ela seguiu um modelo metodológico a partir da conversa com um morador para conhecer o local, as pessoas, a história e compartilhar ideias e percepções. Após este encontro horizontal, passeou pelas regiões e as fotografou, algumas vezes durante vários dias. Cécile ainda pôde encontrar organizações e movimentos como a Associação de Moradores e Amigos do Centro Histórico (AMACH), o Coletivo Cutucar no Subúrbio Ferroviário, o grupo de pesquisa Laboratório Urbano da Faculdade de Arquitetura da Universidade Federal da Bahia (UFBA), entre outros.

No workshop, Cécile Martin, em parceria com o Laboratório Urbano (www.laboratoriourbano.ufba.br), fará uma apresentação teórica do projeto e, junto com todas as pessoas que ela encontrou durante a residência, moradores dos diferentes bairros, membros de coletivos, organizações, artistas, arquitetos e todo público interessado, espera provocar e ser provocada a produzir materiais visuais a partir de fotos trazidas pelos participantes dos lugares em que moram. As inscrições estão abertas e podem ser feitas pelo e-mail ilhasdesalvador@gmail.com.

Já na exposição, ela exibirá fotografias produzidas nesta trajetória, além de imagens feitas em sua residência artística em Itaparica, no Instituto Sacatar, em 2014, e também uma versão soteropolitana de um experimento fotográfico em 360 graus, explorando a arquitetura de Lina Bo Bardi. A mostra permanecerá na Galeria do Goethe-Institut até 16 de agosto.

Ao explorar e ampliar a percepção inconsciente, instintiva e reflexiva da realidade, tanto para romper quanto para equilibrar a coabitação entre espaços, corpos e objetos, a pesquisa de Cécile convida para uma contaminação cruzada entre práticas em arte e arquitetura, de modo a questionar a reciprocidade entre essas disciplinas. Seu interesse reside na ligação de visões, ferramentas e conhecimentos de ambos os campos.

Radicada em Montreal (Canadá), Cécile Martin é estudante do PhD em Ciências Humanas do Centro de Estudos Interdisciplinares em Sociedade e Cultura da Universidade de Concordia (CISSC) e ensina na Escola de Design da Université du Québec em Montreal. Como diretora geral e artística da bienal internacional Champ Libre (www.champ-libre.org), realizou, em Montreal e no mundo todo, 16 eventos de media arts site specific, em espaços públicos ou prédios históricos abandonados, tendo reunido intervenções colaborativas entre artistas e arquitetos. Recebeu a bolsa 2009 da Fundação RAIC (Royal Architectural Institute of Canada). É membro executivo da Hexagram International Network, dedicada à pesquisa-criação em artes com novas mídias, design, tecnologia e cultura digital, e gerenciou o Media Art Histories Re-Criate 2015, simpósio de pesquisadores emergentes.

VILA SUL – Oficialmente inaugurado em novembro de 2016, o Programa de Residência Artística Vila Sul do Goethe-Institut Salvador-Bahia é o terceiro no âmbito geral das 159 unidades do Goethe-Institut existentes no planeta, e primeiro e único da rede no “sul global”, abaixo da Linha do Equador. Sua proposta é de fortalecer interlocuções entre o Brasil e demais países do hemisfério Sul a partir da presença de artistas de todo o mundo. A vinda dos residentes se baseia no seu interesse genuíno em questionamentos que abordem perspectivas do tema ou que promovam o diálogo entre países deste hemisfério. Além de vivenciar a cidade e o estado, os visitantes têm contato com produções e agentes culturais locais, num intercâmbio de referências, experiências e conhecimentos. Entre 2016 e 2018, 49 artistas e agentes culturais já experimentaram esta oportunidade. Atualmente, mais cinco residentes estão hospedados: além de Cécile Martin, participam a cineasta Akosua Adoma Owusu (Gana/Estados Unidos), o dançarino e coreógrafo Augusto Soledade (Brasil/Estados Unidos) e o duo audiovisual jj18 (Alemanha/Estados Unidos).

Ilhas de Salvador
Cécile Martin
Quando: 24 de julho (terça-feira)
13h às 18h: Workshop – inscrições via e-mail: ilhasdesalvador@gmail.com
19h: Abertura da exposição “Ilhas de Salvador” (aberta ao público)
Visitação até 16 de agosto
Onde: Goethe-Institut Salvador-Bahia (Av. Sete de Setembro, 1809 – Corredor da Vitória)
Quanto: Gratuito

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *