4ª Edição do Festival Nova Dramaturgia da Melanina Acentuada acontece em Salvador/BA

Cartaz A3 4ª ediçãoApós grande sucesso no Teatro de Arena Eugênio Kusnet em São Paulo- SP, em 2013, no ICBA, em Salvador- Bahia, em 2014, e na ocupação do Teatro Dulcina, no Rio de Janeiro – RJ de setembro a dezembro de 2015, o projeto “NOVA DRAMATURGIA DA MELANINA ACENTUADA”, idealizado por Aldri Anunciação, chega a sua 4ª edição em formato de festival ocupando, durante 4 semanas, o Espaço Cultural da Barroquinha, em Salvador – BAde 20 de julho a 14 de dezembro, levando ao público espetáculos teatrais, leituras dramáticas, oficina de dramaturgia, encontros com dramaturgos, exposição fotográfica e ainda o  Seminário Internacional Nova Dramaturgia da Melanina Acentuada, que propõe uma reflexão sobre a atual dramaturgia de autoria negra no Brasil.

Influenciado pela proposta do TEN – Teatro Experimental do Negro -, fundado por Abdias Nascimento, em 1944, Aldri idealizou o projeto para dar visibilidade a jovens autores e dramaturgos negros, através de espetáculos e leituras dramáticas e, também, criar um espaço para debates em que obras e pensamentos formulados por autores negros são refletidos e problematizados. Durante esses três anos do projeto foi catalogada a existência de mais de 61 dramaturgos negros em atividade no país.

“O objetivo é dar visibilidade aos dramaturgos negros e sua diversidade temática, mas o objetivo final é propiciar o encontro de etnias e com isso a construção de uma cena e mundo melhores”, afirma Aldri Anunciação.

agenda conta com o espetáculo “ISTO NÃO É UMA MULATA”, com texto, atuação e direção de Mônica Santana, dia 22 de julho e o espetáculo carioca “SETE VENTOS”, com texto, atuação e direção de Débora Almeida, dias 23 e 24 de julho. Na semana seguinte, o evento apresenta o espetáculo “O CAMPO DE BATALHA”, com texto de Aldri Anunciação e direção de Márcio Meirelles com co-direção de Lázaro Ramos e Fernando Philbert, atuação de Aldri Anunciação e Rodrigo dos Santos, dias 29 e 30 de julho, no domingo, dia 31 de julho, será apresentado o espetáculo “SE DEUS FOSSE PRETO”, com texto e atuação de Sérgio Laurentino e direção de Jean Pedro. Agosto começa com o espetáculo-solo de Minas Gerais, “VAGA CARNE”, com texto, direção e atuação de Grace Passô, dias 05, 06 e 07 de agosto. Encerrando o evento, o sucesso Namíbia, Não!, com texto de Aldri Anunciação, direção de Lázaro Ramos e atuação de Aldri Anunciação e Fernando Santana, com três apresentações nos dias 12, 13 e 14 de agosto. No último dia, 17 de agosto, teremos ainda “O Circo de um Homem Só”, texto, direção e atuação de João Lima em apresentação única às 17h no pátio do Espaço Cultural da Barroquinha.

Além dos espetáculos teatrais, o Encontro com dramaturgo acontecerá todas as quintas-feiras, com debates do público com os dramaturgos negros Mônica Santana, dia 21/07; Sérgio Laurentino, dia 28/07; Fernando Santana, dia 04/08 e Diego Pinheiro, dia 11/08.

Nas quartas-feiras, ocorrerão as Leituras dramáticas e o primeiro texto a ser lido é um trabalho inédito de Aldri Anunciação, “A Mulher do Fundo do Mar” no dia 20/07 com a atriz Iami Rebouças; no dia 28/07, ocorre a leitura do texto teatral inédito, intitulado “Diverso(s)”, de uma das mais importantes romancistas brasileiras, Ana Maria Gonçalvez, que tem seu livro “ Um Defeito de Cor” na 11ª edição pela Editora Record, 2014. A direção é de Sanara Rocha; o texto “LIbertée” do dramaturgo Elisio Lopes Jr. será lido no dia 03/08, com direção de Antônio Marcelo e, para fechar com chave de ouro o ciclo de Leituras dramáticas, no dia 10/08, leitura do texto  inédito de Aldri Anunciação, “Embarque Imediato” com participação do ator Antônio Pitanga que divide o palco com Amaurih Oliveira sob a direção de Márcio Meirelles.

A exposição fotográfica intitulada Rostos Negros na Dramaturgia Brasileira – Reativando a memória do dramaturgo negro, em homenagem a todos os dramaturgos negros brasileiros, ficará na Galeria Galeria Juarez Paraíso durante todo o evento.

O festival conta com o patrocínio do Edital Arte em Toda Parte – Ano III.

Ainda durante o evento, ocorre a 4ª Edição do Seminário Nova Dramaturgia da Melanina Acentuada, sempre às quintas-feiras, a partir das 15h. O Seminário reune importantes pesquisadores da área de artes cênicas, antropologia e literatura para produzir pensamentos acerca da estética e linguagem da escrita negra contemporânea. O seminário conta com o apoio institucional da Universidade Federal da Bahia através do Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas – PPGAC e do edital PAEP/CAPES.

 CONFIRA AQUI A PROGRAMAÇÃO COMPLETA