Cabaré Hiperlink

Projeto aprovado na Lei Rouanet. PRONAC: 144536 Em fase de captação.

Este projeto se refere a montagem dos textos Music Hall e História de Amor, do dramaturgo Jean-Luc Lagarce, pela colaboração interdisciplinar entre tecnologia e cabaré, visando criar um espetáculo cênico-musical marcado pela presença de elementos estéticos e estilisticos da cultura brasileira em sua multiculturalidade e capacidade de miscigenação e antropofagia. A pesquisa se propõe a buscar na tradição do teatro musicado e do cabaré brasileiros matrizes para a composição do espetáculo que terá como convidados a atriz e cantora Cida Moreira e o diretor Gilberto Gawronski. Ademais, terá como eixo da concepção de encenação a exploração de dispositivos técnológicos digitais e interativos trabalhando com projeção de imagens (mapeada e interativa), composição de paisagens sonoras e visuais, internet, mídias sociais, interação em tempo real e efeitos multimídia que buscarão criar o universo da espetacularização midiática que caracteriza o mundo contemporâneo. Para fazer com que esta complexa teia dramatúrgica funcione no palco, será utilizada a ideia de hiperlink como conceito/ferramenta de articulação de sentidos e composição cênica. Para tanto, seguimos três diretrizes proposicionais – dramatúrgica, conceitual e tecnológica – que se afiliam em inúmeros links na viabilização desta pesquisa-montagem tecno-cabaresca.

. Proposta dramatúrgica – a história a ser contada

Jean-Luc Lagarce propõe em seus textos uma tentativa de reconhecimento do humano. Concebendo a realidade como algo que formamos, usa a palavra para falar do “não dito”, daquilo que somos incapazes de dizer. Reflete a angustiosa confusão entre nossas emoções e pensamentos, uma incapacidade de precisar os fatos, e a fragmentação dos acontecimentos em micro-realidades. Nos textos Music-Hall e História de Amor o autor aborda a vida de três pessoas amarradas umas as outras por suas experiências compartilhadas. Incapazes de precisar seus conflitos as personagens parecem não entrar em acordo sobre seu passado, a esfera coletiva é constantemente abalada por experiências individuais.  As dramaturgias de tais textos partem do caos das relações pessoais no pós-guerra e do universo do teatro de Cabaré – não como espaço de entretenimento mas de questionamento da realidade – para explicitar a dificuldade de construção de uma narrativa histórica que abarque o individual. Em Lagarce, a utilização da linguagem revela uma similaridade com o hiperlink na medida em que uma palavra dita remete, na memória do personagem interlocutor, uma outra lembrança, contexto, ideia e assim ele toma posse do discurso a partir do link feito.

. Proposta conceitual

Este projeto pretente utilizar o conceito de hiperlink como dispositivo de jogo que permite articular outros dispositivos – multimídia, atores, músicos, cenário, trilha – conteúdos e os textos de Jean-Luc Lagarce em uma encenação. Conceito fundamental para a navegação na internet, o hiperlink foi desenvolvido pelo filósofo e sociólogo americano Ted Nelson a partir dos conceitos de hipertexto e hipermídia. Ele procurou desenvolver estruturas para uma escritura não sequencial, que seria o reflexo de um pensamento não linear, o qual considera característico do ser humano contemporâneo. Nelson percebeu que descrever uma trajetória individual frente a um documento eletrônico, implica em uma interconexão entre conteúdos, ou seja: quando uma referência aparece no texto ela abre um campo novo de informações que leva a outro e assim sucessivamente. O hiperlink, portanto, é o dispositivo multidimensional que possibilita sair do texto e retornar a fonte, buscando a origem de uma citação, ou mesmo avançar e buscar outros materiais relacionados ao conteúdo proposto pelo texto, e depois voltar a ele quantas vezes for necessário.

. Proposta de encenação com dispositivos multimidiáticos

A ideia de hiperlink nos induz uma sensação de sobreposição, dobra; ao ler um texto, quando se clica em um hiperlink, o leitor é transportado a outra pagina, que complementa o conteúdo da primeira. Isso acontece continuamente e muitas vezes perde-se o referencial de início, sobrando uma terceira ideia, fruto da soma entre uma e outra. Esta lógica nos aproximou da ideia de “camadas”, como se um conteúdo, ao ser acessado, pudesse se sobrepor a outro, sem perder totalmente o primeiro.

A proposta para o trabalho “Cabaré Hiperlink” é criar um ambiente de paralelismos e simultaneidades, através da implantação de camadas que envolvem o palco em três níveis: frontal, meio e fundos. O espetáculo acontece em meio a essas camadas, construídas com telões transparentes e que serão utilizadas e transformadas com projeções, mapeamentos, efeitos de iluminação e etc. Existe aí a possibilidade de captação das cenas e retransmissão dessas em diferentes camadas, gerando outros ambientes de acordo com o teor do espetáculo. A camada também nos aproxima de uma atmosfera quase bidimensional, reafirmando este universo. Outros elementos serão utilizados para a imersão nesse ambiente; o desenho sonoro e a iluminação contribuirão para completar essa arquitetura, servindo de suporte para o espetáculo.

O mecanismo todo prevê uma serie de dispositivos que serão acionados pelo ator em cena. Ligados a sistemas periféricos, internet ou seleções de imagens previamente construídas, cada apresentação se torna um novo espetáculo.

. Proposta de pesquisa-montagem

Partimos da dificuldade de construção de uma narrativa histórica que abarque o indivíduo, expressa na obra de Jean-Luc Lagarce, “linkando” os textos Music Hall e História de Amor. Deste link constatamos mais possibilidades de interação – “linkagem” – com a realidade em que a montagem será efetuada.

* A esfera digital como pulverizadora das relações humanas – individuais e coletivas – em frações de informações nas redes sociais, sites e blogs.

* A crise de representação como problematizadora dos limites entre público e privado, coletivo e individual, ficção e realidade, homem e ator.

A partir disto, propomos uma montagem teatral que busca inspiração em elementos do cabaré – onde dança, teatro, música e discurso se encontram. O cabaré sempre foi um local de questionamento da realidade, crítica e ironia social, e essa montagem pretende levar à cena uma reflexão sobre as relações humanas face ao advento tecnológico, repleto de possibilidades comunicativas.

Vivemos uma era de espetacularização midiática constante da vida e das relações pessoais e coletivas, pensar o lugar do artista cênico neste contexto, aquele que busca o contato efetivo com o seu público na proximidade da ribalta, é o desafio que nos propomos enfrentar nesta montagem.  Sonhos, ideologias, desejos, paixões, amores e desamores, traços simples das relações humanas são dissolvidos em bits de informações socializadas na rede, na velocidade e efemeridade de um “click”. A concepção estética propõe a criação de um cabaré tecnológico que parte da investigação de aspectos da encenação contemporânea que, assim como o cotidiano, foram invadidos por dispositivos tecnológicos.
OBJETIVOS

  • Montagem de um espetáculo teatral musical que reflita a cultural contemporânea brasileira e possibilite um diálogo entre tradição e contemporaneidade utilizando-se para isto de dispositivos multimídia, musicais, teatrais que serão articulados na encenação através da ideia de hiperlink como metáfora síntese das relações humanas contemporâneas.
  • Realizar uma temporada de 30 apresentações do espetáculo, de quarta a domingo, no Teatro Sérgio Cardoso – Sala Sérgio Cardoso, em São Paulo, de 04/09/2015 a 11/10/2015.

Objetivos Específicos

– Mergulho nas noções da estética do cabaré a fim de revisitá-las sob uma ótica contemporânea.

– Explorar a função de mídias tecnológicas na articulação da cena, e seu papel nas relações humanas.

– Explorar a relação indivíduo/ator e biografia/ficção através de uma tensão entre ilusão e realidade.

– Instaurar uma prática colaborativa onde a alteridade atualize o arcabouço teórico-prático dos profissionais de diferentes gerações envolvidos no projeto, engajados na atividade desenvolver uma estética musical contemporânea.

– Criar um espetáculo interativo e atrativo para públicos de diferentes faixas etárias e que leve à cena elementos da cultura brasileira proporcionando uma reflexão crítica e política do contexto brasileiro contemporâneo.

 

JUSTIFICATIVA

“Cabaré Hiperlink” propõe um embate entre tendências contemporâneas e tradicionais do fazer teatral. O “cabaré” sempre foi um espaço de interação socio-cultural para artistas e intelectuais que questionaram sua realidade. Na obra de Jean-Luc Lagarce existe uma ampla referência a este gênero, pois em ambos os textos as protagonistas são, foram ou vieram a ser estrelas de cabaré. Ademais, a referência musical proposta pelo autor é Josephine Baker, performer do gênero mundialmente conhecida.

Na busca pelo aprofundamento de tal universo-linguagem convidamos a atriz e cantora Cida Moreira, especialista brasileira na obra de Brecht e Kurt Weill para representar as protagonistas dos textos. A participação de Cida promoverá um aprofundamento da pesquisa estética e corroborando no transporte de tais questões para a cena e para a criação de um cabaré brasileiro.

Num mercado invadido pelo musical americano, o Cabaré  contrapõe sua estética capaz de refletir a realidade multicultural e antropofagica brasileira. Por isso propomos interagir as referências estrangeiras do nosso projeto com o trabalho de artistas nacionais como as Rainhas do Rádio, o grupo Dzi Croquetes, e com os grandes espetáculos musicais do Cassino da Urca e do Teatro Opinião.

A invasão da tecnologia na cena contemporânea – através da utilização de projeções, audiovisual, mídias sociais, internet, etc. – explicita que a mediação tecnológica está amplamente confundida com a noção de comunicação no mundo moderno e modificaram as nossas relações sociais, políticas e culturais. Se a comunicação, na atualidade, se elabora na dependência de uma mediação, possivelmente diferentes linguagens se criam através do uso de diferentes tecnologias.

O projeto, ainda, possibilita que um grupo de atores, atrizes, músicos e artistas de vídeo e áudio de diferentes gerações, bem qualificados e com formações variadas, possa interagir com a cena teatral Paulistana com uma proposta de montagem atual, criativa, aberta, colaborativa e com linguagem inovadora. Isto implica na valorização de talentos regionais e nacionais que se integram numa proposta com amplo intercâmbio de saberes e fazeres e cuja concepção estética propõe uma ampliada gama de possibilidades de intersecção entre arte e tecnologia, homem e teatro.